Raiz Cultura blog!

Raiz Cultura blog! ajuda a resgatar a cultura de raiz e a ancestralidade do nosso povo!

Arquivo de orixás

Cultura Umbandista.

Toda a pessoa que escuta es­ta frase: “Você tem que vestir bran­co, e precisa de­sen­volver a sua mediuni­dade”.  Pronto! Aí vem o medo e ao mesmo tempo a ansiedade, imagi­nando-se vestido de branco e já incorporando “seus guias”, ele julga que após poucas semanas já estará apto a “trabalhar” dando  “consulta”… Será que é só colocar o médium “novo” no meio da gira e girar?  Ou será que ele precisa primeiro de atenção, carinho, ajuda e esclareci­mento neste mo­mento único e delicado de transição dos seus valores reli­gio­sos, e principalmente de doutrina, acres­cido de tempo e humildade de ambos os lados, seja do dirigente para com o filho pequeno (que nasce para a espiritua­lidade) e precisa ser cuidado com amor. Ou por parte do filho que precisa de conhecimento e isto só é con­seguido através do estudo, movido pela paciên­cia, humildade e fé, pois só assim con­seguirá de fato ser um filho de fé da Umbanda Sagrada.  Como as giras de desenvolvimento fazem parte deste processo mediúnico comentarei sobre os recursos rituais: atabaques, cantos, defumações, dan­ças, roupa branca, etc…

Leia o resto deste post »

Sete Linhas de Umbanda ( Parte I ) Por Alexandre Cumino.

 

 

orixas.jpg

Minha colaboração para o estudo, histórico, das Sete Linhas de Umbanda,apenas aos que se interessam em estudar,com esta profundidade,Alexandre Cumino

 

O que são as “Sete Linhas de Umbanda”?

7 Linhas de ou da Umbanda é algo muito polêmico e que já deu muito o que falar, por mais que se escreva, sempre haverá mais e mais a ser esclarecido. Cada autor Umbandista mostra a sua visão, seu ponto de vista sobre o que são as “Sete Linhas de Umbanda”.

Leia o resto deste post »

Eram os Gregos Macumbeiros?

Atenas, quarenta e cinco minutos do segundo tempo:

atenas1.jpg

“Sócrates já se tinha tornado rijo e frio em quase toda a região inferior doventre, quando descobriu sua face, que havia velado, e disse estas palavras,as derradeiras que pronunciou:
– Críton, devemos um galo a Asclépio; não te esqueças de pagar essa dívida.”

É desta forma que Platão (Fédon, 118a) narra os últimos momentos de Sócrates.

Leia o resto deste post »